AÉCIO: DE QUERIDINHO A MOTIVO DE DECEPÇÃO DOS FAMOSOS

O jornalista Stefano Miranda, do Jornal do Brasil, recolheu depoimentos de eleitores de Aécio, do mundo das celebridades, que hoje se dizem decepcionados com o político mineiro, radicado no Rio.

Ronaldo, ex-jogador de futebol – Em relação à vida política, o país vem sofrendo decepção atrás de decepção. O Brasil precisa de uma limpeza geral daqueles que não prestam. Estas pessoas deveriam deixar a vida pública.

Luciano Huck, apresentador: É evidente a minha enorme decepção e tristeza com tudo o que veio à tona em relação não só a um amigo, mas a alguém que foi governador, senador e que recebeu mais de 51 milhões de votos numa eleição presidencial recente. Que atire a primeira pedra quem nunca se surpreendeu negativamente ou se decepcionou com um amigo. Não vou renegar minha relação de amizade com ele, nem mesmo em um momento tão negativo da sua vida. Mas é importante que se diga que nunca misturei amizade com política ou negócios em nossa relação. Não faço a menor ideia da origem destas imagens. Todas as fotos que rodaram nas redes esta semana são muito antigas, não tem nada recente. Podem ter sido postadas nas redes do Aécio, por exemplo. O que posso te garantir com toda a sinceridade é que não apaguei foto alguma recentemente em função dos acontecimentos da semana passada. Acho igualmente importante registrar que considero gravíssimos os fatos recentemente divulgados sobre sua conduta. Se forem comprovados, devem ser punidos com rigor dentro do que determina a Justiça. São comportamentos que refletem de forma emblemática boa parte daquilo que queremos banir da nossa sociedade. À exceção de Aécio, nenhuma destas figuras é ou foi meu amigo. São, isto sim, pessoas com as quais em circunstâncias diversas estive junto por motivos também diversos.

Ana Paula, ex-jogadora de vôlei – Que a lei seja aplicada a absolutamente todos, sem exceção. Quem luta pelo Brasil de verdade, não protege político algum. Se Aécio fez, tem que pagar — tanto quanto Lula! Temer também! O Brasil precisa caminhar para o império da lei, ou acaba como país. Votei em Aécio sim, mas mudo tran-qui-la-men-te de opinião em relação a qualquer político.

J&F recusa acordo proposto pelo Ministério Público

Grupo que controla a JBS se recusou a pagar os R$ 11 bilhões pedidos por MPF para fechar acordo de leniência. Entendimento ainda pode ser alcançado, sob novas condições.O Grupo J&F, que controla a JBS, não fechou acordo de leniência com o Ministério Público Federal (MPF). O prazo terminou às 23h59min desta sexta-feira (19/05).

O MPF defendeu o pagamento de R$ 11,169 bilhões pela empresa, que seriam pagos em dez anos. O valor é equivalente a 5,8% do faturamento obtido pelo grupo econômico em 2016. Já os representantes da J&F propuseram pagar R$ 1 bilhão, o que equivale a 0,51% do faturamento registrado no período.
Segundo o MPF, a Lei Anticorrupção estabelece que a multa em acordos de leniência deve ter como parâmetro percentual que varia entre 0,1% e 20% do faturamento.

Apesar do não fechamento de um acordo de leniência, a empresa já fechou com o MPF um acordo de colaboração, que já foi homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O acordo de leniência abrange aspectos civis e de responsabilidade da empresa, enquanto o pesquisas presidencias 2018 acordo de colaboração diz respeito a aspectos penais.

A J&F e o MPF ainda podem voltar a negociar um acordo de leniência, com outras condições. O Ministério Público avalia que pode ser fortalecido por uma decisão na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), onde o grupo é alvo de seis processos administrativos, incluindo a investigação de indícios de que a JBS teria se beneficiado da alta do dólar ocorrida após a divulgação de gravação feita por um dos controladores da empresa, Joesley Batista, com acusações contra o presidente Michel Temer.

Michel Temer vai discursar novamente aos brasileiros

O presidente Michel Temer, alvo de denúncias de corrupção, vai discursar à nação neste sábado, anunciou a secretaria de comunicação da presidência em Brasília.
“Teremos pronunciamento do Presidente no Palácio do Planalto”, anunciou uma fonte.
O discurso acontecerá às 14H00.
Este será o segundo pronunciamento de Temer desde quarta-feira à noite, quando começou a ser revelado o conteúdo de uma gravação na qual o presidente dava o suposto aval ao pagamento de propina ao ex-deputado Eduardo Cunha, detido atualmente, para comprar seu silêncio.
No discurso de quinta-feira, Temer rejeitou de modo veemente a possibilidade de renunciar, apostando na força de sua base aliada, que serviu até o momento para compensar o nível recorde de impopularidade e evitar um processo de impeachment no Congresso.
A aposta é cada vez mais arriscada, depois que novas revelações levaram a Procuradoria Geral da República (PGR) a acusar o presidente na sexta-feira de tentativa de obstrução à justiça.
Segundo a PGR, Temer teria atuado em coordenação com o senador e ex-candidato à Presidência Aécio Neves, suspenso do cargo na quinta-feira (18), para impedir a continuação da Operação ‘Lava Jato’.
O Partido Socialista Brasileiro (PSB), que integra a base governista, discute neste sábado sua permanência no governo, onde ocupa o ministério de Minas e Energia.