Agência aponta quatro declarações falsas de Temer em entrevista

A agência aponta que essa declaração de Temer não é verdadeira, já que a operação, realizada pela Polícia Federal para investigar fraudes na fiscalização de carnes, só foi deflagrada em 17 de março deste ano, 10 dias após a reunião entre o presidente e o dono da JBS Joesley Batista. O Planalto reconheceu, por meio de nota, que Temer “se enganou”.
A agência aponta que essa informação também não procede, já que quem menciona o nome do deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB), na gravação feita por Joesley, é o próprio Temer e não o empresário. Joesley pediu instruções de quem poderia procurar para não incomodar o presidente e Temer teria indicado Rodrigo.

O peemedebista ainda teria dito que o deputado era da sua “mais estrita confiança”. Esse trecho da conversa consta na petição enviada pela Procuradoria Geral da República (PGR) para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Famosos são uma ameaça real aos políticos na eleição de 2018

O que era especulação midiática se tornou intenções de voto. A pesquisa do Datafolha, divulgada neste domingo (30), mostra Luciano Huck com 3% na corrida presidencial. O apresentador do ‘Caldeirão’ tem feito aparições públicas com pinta de candidato, mas nega o projeto político.
Seu programa nas tardes de sábado da Globo está com média de 14 pontos desde janeiro. Este índice representa 2,8 milhões de telespectadores somente na Grande São Paulo. Uma vitrine valiosa para qualquer pessoa com o objetivo de tentar um cargo eletivo.

No caso de Huck, há uma vantagem: ele mantém boa comunicação com o público jovem, de 16 a 34 anos. Essa faixa etária abrange 55 milhões de eleitores, do total de 146 milhões de brasileiros aptos a votar, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral.

Outro apresentador aparece no levantamento do Datafolha: João Doria, que deixou os programas ‘Show Business’, na Band, e ‘Face a Face’, na BandNews, para assumir a prefeitura de São Paulo.

Em um dos cenários propostos aos entrevistados, ele obteve 11% das intenções de voto, pouco atrás de políticos de carreira e mais conhecidos nacionalmente como o ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes e o deputado federal Jair Bolsonaro.

Artistas ocuparem altas posições de poder não é novidade. Donald Trump se elegeu presidente dos Estados Unidos apoiado na popularidade conquistada à frente do ‘The Apprentice’ (O Aprendiz), reality show de negócios que teve Doria como âncora de duas edições na Record.