PM prepara esquema para afastar movimentos na oitiva de Lula

A Polícia Militar do Paraná divulgou nota oficial neste final de semana informando que realizará policiamento ostensivo das áreas próximas da Sede da Justiça Federal do Paraná, no dia 10 de maio, quando ocorrerá a audiência do ex-presidente Lula para a Operação Lava Jato.

Além do policiamento, a PM irá adotar medidas de controle e acesso de moradores e veículos no entorno da Sede, utilizando bloqueios de vias. O nome dos moradores da região estão sendo previamente cadastrados para definir a entrada e saída de pessoas nas localidades que serão abrangidas pela operação de segurança.

Desde que o juiz Sérgio Moro, que coordena a Lava Jato, definiu a data de oitiva do ex-presidente Lula que, inicialmente estava prevista para o dia 3 de maio, e depois foi alterada para o dia 10, movimentos sociais em todo o país planejam ir à Curitiba em apoio ao ex-presidente.

Neste sábado (6), a juíza Diele Denardin Zydek, da 5ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba autorizou um pedido de “Interdito Proibitório” impetrado pelo prefeito de Curitiba Rafael Grega, para despejar um acampamento do Movimento Brasil Livre (MBL) e Vem Pra Rua, instalado em frente à Sede da Justiça Federal, em apoio a Moro, entretanto o instrumento se estenderá a qualquer movimento social até o dia 10 de maio. Segundo a juíza a justificativa é que são esperados cerca de 50 mil pessoas no dia da audiência de Lula.

A nota da PM do Paraná segue informando que os moradores próximos à 13ª Vara Federal do Paraná, terão que responder a um cadastro apresentando documento e comprovante de residência para conseguir transitar no dia 10 de maio, dessa forma, a entrada de pessoas que não são residentes da região será evitada pesquisa eleitoral 2018.

PT comemora crescimento de Lula e sugere eleição antecipada

A cúpula do PT divulgou nesta quarta-feira, 3, resolução política em que comemora o habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ao ex-ministro José Dirceu, preso pela Lava Jato, e o crescimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas pesquisas de intenção de voto.
Em reunião da Executiva Nacional, os petistas também decidiram sugerir aos parlamentares do PT e aliados que proponham emenda constitucional convocando eleições diretas antecipadas ainda neste ano.

“O PT saúda a decisão que liberou o companheiro José Dirceu, preso injustamente, e espera que a mesma se estenda ao companheiro João Vaccari”, diz a resolução, que também cita o ex-tesoureiro do PT, outro réu da Lava Jato preso em Curitiba.

O documento chama o presidente Michel Temer de “chefete” e as delações da Odebrecht e da OAS de “fabricadas”. “A enxurrada de gastos publicitários para os grandes veículos da mídia também foi incapaz de impedir a queda vertiginosa da popularidade do governo ilegítimo e de seu chefete: a rejeição a Temer é inversamente proporcional à sua arrogância”, afirma a resolução.

Na avaliação da cúpula do PT, o partido está se recuperando da crise e é preciso apressar a votação da reforma política, com a instituição de um financiamento público de campanha e voto em lista.

“Quanto mais o ex-presidente avança, mais os asseclas do golpe atiçam seu ódio e perseguição com delações fabricadas e denúncias sem provas”, destaca o documento. Lula é pré-candidato do PT à Presidência, mas, se for condenado em segunda instância pela Justiça, ficará inelegível.

Ainda na resolução, o PT também definiu a greve geral do último dia 28 como um “marco histórico na luta contra o governo usurpador”, observando que de pouco adiantou “a mídia monopolizada e seus lacaios” tentarem desqualificar o movimento.

Eleições 2018 Presidente

Ex-presidente por dois mandatos consecutivos, Luiz Inácio Lula da Silva apareceu na frente de outros possíveis candidatos para as eleições presidenciais de 2018. A pesquisa estimulada divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) e pelo instituto MDA, nesta quarta-feira, ainda tem uma simulação de segundo turno.

Nela, quem venceria em uma disputa com Lula seria o tucano Aécio Neves, atualmente senador pelo PSDB-MG e candidato derrotado nas eleições de 2014.

Na pesquisa espontânea, Lula tem 8,6% de intenção de voto, enquanto Aécio aparece com 5,7%. A ex-senadora Marina Silva (Rede) possui 3,8% dos entrevistados a seu favor, enquanto a presidente afastada Dilma Rousseff tem 2,3%. Atualmente presidente interino, Michel Temer atingiu 2,1%, o mesmo íncide apresentado pelo deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

Outro nome frequentemente citado nas entrevistas da CNT foi o de Ciro Gomes (PDT), que figura com 1,2% das intenções de voto. Os demais presidenciáveis não atingiram sequer 1%. Votos em branco somam 16,7%, enquanto os indecisos são nada menos do que 54,1%, mais da metade.

Em uma pesquisa estimulada, Aécio teria 15,9% do apoio e, mesmo assim, ficaria atrás de Lula no primeiro turno, com 22%. Marina Silva teria 14,8% e, empatados tecnicamente, aparecem Ciro Gomes (6%), Bolsonaro (5,8%) e Temer (5,4%). 21,2% votariam em branco ou nulo e 8,9%, nesse cenário, ficariam indecisos.

Quando a hipótese tem o governador paulista Geraldo Alckmin como representante do PSDB, a diferença para Lula fica ainda maior, com 22,3% para o petista e 15,9% para o tucano.

Num segundo turno, porém, Lula enfrentaria muitas dificuldades para se reeleger. Isso porque, com Aécio na disputa, o petista perderia por 34,3% a 29,9%. Contra Marina seria a mesma coisa: derrotado por 35% a 28,9%. Nesse caso, segundo a pesquisa da CNT, o ex-presidente só venceria Temer, em um “placar” de 31,7% a 27,3%.

Caso Lula não fosse para o segundo turno e a disputa na etapa em questão fosse entre Aécio e Marina, eles empatariam tecnicamente: 29,7% a 28%, com leve vantagem para ele. Temer, por outro lado, perderia em todos os cenários de segundo turno emulados.