Eleições 2018 Brasil: Candidatos na pista – Joaquim Barbosa

Ser vice de Marina Silva não é a única opção para Joaquim Barbosa, de 62 anos, Além de ter conversado com a Rede, o ex-ministro do STF se reuniu com dirigentes do PSB. A oferta do partido socialista seria uma candidatura própria à Presidência. “A decisão de me candidatar ou não está na minha esfera de deliberação. Só que eu sou muito hesitante em relação a isso. Não sei se decidirei positivamente neste sentido”, disse Barbosa no início de junho.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, de 71 anos, chegou a ser especulado como substituto de Temer em uma eventual eleição indireta. O PSD, partido ao qual Meirelles é filiado, não trata de nomes publicamente. Em nota, o presidente em exercício da sigla, Alfredo Cotait Neto, disse que a legenda “possui bons quadros e buscará lançar candidatura própria também na disputa presidencial”.

Já o senador Cristovam Buarque (DF), de 73 anos, disse que poderia repetir a candidatura presidencial que lançou em 2006 caso fosse do interesse do PPS. “Não vou pleitear, mas se o PPS quiser, estou disposto e pronto. Numa disputa em que vemos pesquisas com a cara do passado, com a cara de Lula e Bolsonaro, creio que qualquer político tem o direito de estar disponível para concorrer à Presidência”, disse. Cristovam afirmou que encontra simpatia para se candidatar à Presidência entre as bases do partido, mas nunca chegou a tratar do assunto com os dirigentes do PPS.

Datafolha: Lula lidera intenções de voto, mas tem a maior rejeição para as Eleições 2018

Réu em cinco ações na Justiça Federal no âmbito das operações Lava Jato e Zelotes, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o preferido em intenções de voto em todos as simulações de primeiro turno em que participa para a Presidência da República nas Eleições 2018, de acordo com pesquisa eleições 2018 brasil Datafolha divulgada nesta segunda-feira (26).

Lula 2018 tem entre 29% e 30% da preferência conforme os candidatos que enfrentaria. Porém, ao mesmo tempo, o petista é rejeitado por quase metade da população.

Na primeira simulação, Lula (PT) aparece com 30%, contra 16% do candidato de ultradireita Jair Bolsonaro (PSC) e 15% de Marina Silva (Rede). Geraldo Alckmin (PSDB) é o quarto colocado, com 8%, e Ciro Gomes (PDT) é o quinto, com 5%. Luciana Genro (PSOL) teve 2% de intenções de voto, assim como Eduardo Jorge (PV) e Ronaldo Caiado (DEM). Os indecisos são 2%, enquanto os que disseram que votariam branco ou nulo somam 18%.

Na segunda hipótese, Lula teria 30% dos votos se as eleições presidenciais fossem hoje, contra 15% de Marina, 15% de Bolsonaro e 10% do prefeito de São Paulo, João Doria. Ciro Gomes (PDT) aparece na quinta colocação, com 6% da preferência. Luciana Genro, Eduardo Jorge e Ronaldo Caiado teriam 2% das intenções de voto cada um. Brancos e nulos totalizaram 16%, enquanto os indecisos são 2%.

Na terceira situação, com a presença do ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa, Lula tem 30% da preferência, seguido por Marina e Bolsonaro, com 15% das intenções de voto cada um. Joaquim Barbosa (sem partido) tem 11% da preferência e Geraldo Alckmin (PSDB) soma 8%. Luciana Genro, Eduardo Jorge e Ronaldo Caiado também somam 2% da preferência cada um nesta simulação. Brancos e nulos são 14%, e os indecisos, 2%.

No quarto cenário, o ex-presidente soma 29% da preferência, contra 15% de Marina Silva e 13% de Bolsonaro. Joaquim Barbosa tem 10%, seguido por João Doria, com 9%. Luciana Genro e Eduardo Jorge totalizam 2% cada, e Ronaldo Caiado conquistou 1% da preferência. Brancos e nulos são 15%, e os indecisos somam 2% do total.

No quinto cenário com Lula e o juiz federal Sérgio Moro (sem partido), o ex-presidente tem 29% da preferência, seguido de perto pelo próprio Moro e Marina Silva, com 14% do total cada um, e Jair Bolsonaro, que tem 13% nesta simulação. Geraldo Alckmin (PSDB) tem 6%. Empatados com 2% cada, aparecem Luciana Genro e Eduardo Jorge. Ronaldo Caiado soma 1%. Brancos e nulos totalizam 15%, enquanto os indecisos são 2%.

Sem Lula

Se Lula não participar das Eleições 2018, a disputa fica mais acirrada. Marina Silva tem 22% da preferência, Bolsonaro presidente soma 16% e Joaquim Barbosa totaliza 12%. Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB) conquistam 9% cada um nesta simulação. Luciana Genro (PSOL) tem 3%, equanto Eduardo Jorge e Ronaldo Caiado têm 2% cada um. Brancos e nulos somam 23%, enquanto 3% não sabem em quem votariam.

Em um cenário com o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), Marina Silva lidera com 22%, Bolsonaro conta com 16%, Joaquim Barbosa soma 13% e Geraldo Alckmin conquista 10%. Luciana Genro tem 4% da preferência, Haddad conta com 3% e Eduardo Jorge e Ronaldo Caiado têm 2% cada um. Brancos e nulos são 25% do total, enquanto os indecisos totalizam 3%.

Rejeição

Conhecido por 99% da população brasileira, o ex-presidente é rejeitado por 46% dos entrevistados — o que equivale a quase metade da população brasileira. o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), é o segundo mais rejeitado, com 34%. A terceira posição neste ranking pertence ao deputado federal Jair Bolsonaro, com 30%.

Haddad é rejeitado por 28%, enquanto Ciro Gomes não teria o voto, com certeza, de 26% dos eleitores. Marina Silva conta com 25% e rejeição, Luciana Genro, 24%, e Caiado tem 23%. Os entrevistados que se recusam a votar em Moro são 22%, enquanto esse índice vai a 21% para Eduardo Jorge e 20% para João Doria. A menor rejeição é do ex-ministro do Supremo Joaquim Barbosa, que conta com 16%.

Os eleitores que disseram que votariam em qualquer um ou não rejeita nenhum dos nomes acima são 3%, mesmo percentual dos que rejeitam todos esses nomes ou não votariam em nenhum deles.

O Datafolha ouviu 2.771 pessoas em 194 cidades do País entre os dias 21 e 23 de junho de 2017. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.