Lula é denunciado por supostos crimes em obras do sítio de Atibaia

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi denunciado, no âmbito da Operação Lava Jato, dessa vez envolvendo supostos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro relacionados a obras realizadas por empreiteiras no sítio de Atibaia (SP).

Se o juiz Sérgio Moro aceitar essa denúncia, Lula se tornará réu pela sexta vez, na Lava Jato. Na denúncia, o Ministério Público Federal (MPF) acusa o ex-presidente de estruturar, orientar e comandar esquema ilícito de pagamento de propina em benefício de partidos, políticos e funcionários públicos.

A força-tarefa sustenta ainda que Lula, quando era presidente, nomeou diretores da Petrobras para praticar crimes em benefício das empreiteiras Odebrecht e OAS. Em troca, recebeu propina das construtoras, de forma disfarçada, por meio de obras feitas no sítio de Atibaia.

Se Moro não esmagou Lula no tribunal, PT venceu outra de goleada

Nada se sabe ainda do depoimento de Lula a Sergio Moro. Não demora, estará disponível, naquele ângulo conhecido, com, digamos, direção de imagem idem. A câmera fica o tempo inteiro no depoente, e apenas se ouve a voz de Deus a fazer perguntas. Às vezes, há das divindades de segunda grandeza, os procuradores. E até os advogados de defesa falam. Para, invariavelmente, levar um pito de Moro. Em seguida, os hagiógrafos que pertencem, por ideologia ou oportunismo, à Igreja Morista dos Santos dos Últimos Dias de Paupéria começam a espalhar na imprensa e nas redes sociais: “Defesa de Lula tenta irritar Moro”; “Advogados de Lula provocam Moro”… Logo se vai escrever: “Defensores de Lula ousam erguer os olhos diante de Moro”…

Como? Isso é texto de petista? Não! Isso é texto de quem tem vergonha na cara.

Os petistas conseguiram fechar a minha revista. Dois “ministros” da área de comunicação social pediram minha cabeça para patrões. Fui e sou um dos alvos principais dos blogs sujos, financiados pelo PT — e, até outro dia, por dinheiro das estatais. Fui testemunha de defesa de vários jornalistas e colunistas perseguidos pela “máquina”. Alguns vigaristas que hoje me atacam pela direita lucravam o seu com o petismo, numa boa. Rodrigo Janot é o melhor exemplo de que, cedo ou tarde, a vida como ela é vem à tona. Se alguns por aí não se envergonharem em vida, bem, seus filhos terão de dizer o contrário de Lupicínio: “A falta de vergonha é a herança maior que meu pai me deixou”. Volto ao ponto.

Volto ao ponto

Eu não queria que o PT tivesse chegado ao poder. Eu já os chamava de “petralhas” antes da vitória de 2002. Uma vez lá, travei a luta, sempre no campo da democracia, para revelar a sua real natureza. E lastimo hoje que mesmo forças então virtuosas que concorreram para a queda de Dilma — que se deu segundo os rigores da lei — estejam criando as precondições para a volta da esquerda ao poder, com ou sem Lula. Perderam-se. Alguns por convicção. Outros, por falta delas. E há os que não resistiram ao encanto do vil metal. É bom viver bem. Falta a certos tipos a descoberta de que, com dinheiro ganho honestamente, é ainda melhor.

Sim, desde que Moro marcou, no dia 4 de fevereiro, o depoimento de Lula — inicialmente para o dia 3 —, os petistas anunciaram que iriam a Curitiba. Os lava-jatistas e antipetistas não fizeram por menos. E se anunciou, então, o que seria um confronto de, digamos, “movimentos sociais”: haveria os de vermelho e os de verde e amarelo.

Moro teme que circo que armou para Lula pegue fogo

Sergio Moro divulgou vídeo no perfil que sua mulher criou no Facebook para cultuá-lo no qual pede a seus fãs que não compareçam a disputa que o magistrado mesmo marcou quando decidiu tomar o depoimento de Lula na sede da Justiça Federal em Curitiba.

Para quem não assistiu a essa fala de Moro, vale a pena ver no vídeo abaixo a edição que o Blog da Cidadania fez do pronunciamento do magistrado.

Alguns estão dizendo que Moro está com medo de perder de Lula em número de manifestantes ou até de não haver manifestantes do seu lado. Na análise desta página, porém, não é isso o que move o magistrado.

Não dá para subestimar o antipetismo dos curitibanos. Movimentos fascistas como o MBL, financiados pelo governo Temer, certamente iriam, em caravana, somarem-se ao antipetismo da Morolândia.

E não acho que os fascistas irão desistir de irem brigar com os “comunistas” que lhes tiram o sono.

O mais provável, portanto, é que ocorra um grande trauma no centro de Curitiba em um dia útil, com uma guerra campal entre simpatizantes do ex-presidente Lula e do juiz Moro, caso os fãs do magistrado não o escutem.

Moro teme as consequências de sua insensatez ao alardear aos quatro ventos que ouviria Lula pessoalmente em Curitiba.

O que ele podia ter feito para evitar choques que podem vir a ter consequências trágicas? Muita coisa. Em primeiro lugar, poderia ter marcado um depoimento sigiloso.

Ou ouvir Lula por teleconferência.

Ou escolher local que não fosse tão fácil de manifestantes acessarem.

Moro está fazendo a mesma coisa que na condução coercitiva de Lula, em 4 de março do ano passado. Marcou depoimento de Lula em um aeroporto, local de fácil acesso, e deu ampla publicidade.

O que fica parecendo é que o magistrado não esperava tal mobilização em torno de Lula, mas a inteligência da ditadura vigente já o informou do que ele não sabe, que Lula é o maior líder político deste país e ninguém permitirá que seja massacrado por hordas fascistas.

O juiz Sergio Moro deveria desmarcar esse depoimento público e realizá-lo de novo em local, dia e hora não divulgados. Poderia evitar uma tragédia. Não adianta ele se dirigir aos descerebrados que o seguem. São fascistas e fascistas querem confronto.